Os cistos sinoviais são os tumores benignos, de partes moles, mais comuns na mão. São mais comuns em mulheres e 70% ocorrem entre a 2ª e a 4ª décadas de vida. Podem aparecer em crianças e idosos com mais de 80 anos. Eles podem surgir em quase todas articulações da mão e do punho.

Trata-se de “bolsas” com conteúdo gelatinoso e claro, próximas a articulações ou tendões. Os cistos podem estar dentro de articulações e até mesmo dentro de ossos. Em alguns pacientes, essas lesões não causam nenhum sintoma. Em outros, existem sintomas diversos, sendo a dor o mais comum deles. O tamanho do cisto nem sempre está relacionado aos sintomas. Existem cistos grandes que são assintomáticos e outros tão pequenos que são imperceptíveis ao exame clinico, mas geram dor intensa por compressão de alguma estrutura.

 

LOCALIZAÇÃO

Cerca de 70% dos cistos sinoviais estão no dorso do punho. A 2ª localização mais comum é na região flexora do punho (18 a 20%). O 3º tipo mais comum de cisto esta na transição da palma da mão para os dedos, face flexora (10 a 12%).

 

DIAGNÓSTICO

Os pacientes procuram atendimento devido a aparência da massa, dor, fraqueza e medo de lesões malignas.

Outras condições que causam inchaço no dorso do punho devem ser descartadas, tais como sinovite, lipomas e outros tumores. Para tal, podemos lançar mão da ultrassonografia, radiografias e em alguns casos, ressonância magnética.

ETIOLOGIA

Essas lesões podem aparecer repentinamente ou se desenvolverem ao longo de meses. Um evento traumático especifico está presente em, pelo menos, 10% dos casos. E pequenos traumas repetitivos pode ser um fator etiológico no seu desenvolvimento. Não existe uma correlação obvia com o trabalho do paciente.

TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO

Na história da humanidade, tratamentos grotescos já foram empregados no tratamento dos cistos, como a ruptura por um martelo ou mesmo com uma Bíblia. No entanto, não se admite mais tais métodos, que possuem apenas valor histórico.

O método não cirúrgico mais utilizado atualmente é a aspiração do cisto associado a injeção de anestésico e corticoide. No entanto, a efetividade desse método é de apenas 20 a 30%. Ainda, existem riscos associados ao método, principalmente se as lesões estiverem próximas a estruturas nobres, como: infecção, lesão de artéria, lesão de nervo, atrofia da gordura do subcutâneo e despigmentação.

Geralmente, explicar ao paciente que não se trata de lesão maligna é o único tratamento necessário. A cirurgia fica reservada para aqueles pacientes com sintomas persistentes.

TRATAMENTO CIRÚRGICO

O tratamento cirúrgico deve estar concentrado na ressecção completa da lesão. A literatura medica mostra resultados mais satisfatórios com procedimentos realizados em centro cirúrgico, com auxílio de torniquete e anestesia regional do que com anestesia local.

PROGNÓSTICO

Nunca foi reportado uma transformação maligna de um cisto sinovial. No entanto, tumores malignos são frequentemente diagnosticados, de forma equivocada, como cistos sinoviais.

Eles podem diminuir com repouso, aumentar com atividade física ou laboral. Ainda, podem se romper ou desaparecer espontaneamente.

Raramente existe recidiva da lesão se ela for retirada de forma apropriada. No entanto, pode existir recorrência de mais de 50% se a retirada for incompleta.

Na presença desses sintomas, procure a ajuda de um Cirurgião de Mão, para diagnóstico adequado e escolha do tratamento mais apropriado.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now